24072014Qui
AtualizaçãoQua, 18 Jun 2014

Artigos

5.29 ‑ DESIGUALDADE DAS RIQUEZAS

A) IDÉIAS BÁSICAS 
·  Deus concede a riqueza ou a miséria a determinadas criaturas para experimentá-las de modos diferentes. Na maioria das vezes essas provas são escolhidas pelos próprios espíritos. (LE 814).
·  Tanto a prova da desgraça quanto a da riqueza são difíceis testes para o homem. Enquanto a miséria pode provocar a revolta com a Providência Divina, a riqueza incita aos excessos.
·  Dispondo de maiores recursos e meios para fazer o Bem, o rico não o fazendo, torna‑se egoísta, orgulhoso e insaciável.
·  Deus experimenta o pobre pela resignação e o rico pelo emprego que dá aos seus bens e ao seu poder.
·  Pelas facilidades que a riqueza e o poder proporcionam ao homem, muito espinhosa torna‑se esta prova, pois normalmente incita‑o em apegar‑se à matéria e o afasta da perfeição espiritual.
·  Entre os extremos da riqueza e da miséria, a grande maioria das criaturas transita nas reencarnações terrenas em estágios intermediários, sempre com vistas ao seu progresso espiritual.
·  Seja qual for, portanto, as nossas possibilidades materiais, saibamos usufruir corretamente os bens que o Senhor nos concede, na certeza de que a desigualdade das riquezas visa acima de tudo, ao nosso aprendizado espiritual e a exemplificação cristã. 

B) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA A PREPARAÇÃO DO EVANGELIZADOR 
1. Bases Evangélicas ‑ Mateus: 19:16 a 30 ‑ 26:15 ‑ 25:23. Marcos: 2:15 a 17 ‑ 7:27 e 28 ‑10:21 a 25 ‑ 12:41 a 44. Lucas: 5:27 a 32 ‑ 6:24 e 25 ‑ 8:18 ‑ 9:25 ‑ 12:13 a 21 ‑ 14:12 a 14 ‑16:9 ‑ 18:22 a 30 ‑ 19:1 a 10 ‑ 21:1 a 4. Tiago: 1:8. Apocalipse: 3:18. Velho Testamento: Jó: 20:15. Provérbios: 11:4 ‑ 11:24 e 25 ‑ 27:23 e 24. Jeremias: 14:11.
2. Bases Doutrinárias ‑ Livro dos Espíritos: 209, 707, 711, 807 a 816 ‑ O Evangelho Segundo o Espiritismo: Cap.13, itens 15 e 16 ‑ Cap.16 (todo) ‑ Cap.18, itens 14 e 15.
3. Obras Subsidiárias ‑ Alma e Coração: 30 ‑ Almas em Desfile: 6 e 18 ‑ Amor Sem Adeus: 6, 7, 9, 19 ‑ Antologia da Espiritualidade: 14 ‑ Assim Vencerás: 27 ‑ Através do Tempo: 38 ‑ Baú de Casos: 1 ‑ Caminho, Verdade e Vida: 24, 56 e 78 - Caminhos de Volta: 123 ‑ Amanhece: 25, 33, 71 e 75 ‑ Auta de Souza: 47, 50 e 90 - Caridade: 9 ‑ Chão de Flores: “Bom Ânimo” ‑ Companheiro: 17 ‑ Contos desta e da Outra Vida: 34 ‑ Conversa Firme: 1 e 14 ‑ Coração e Vida: 8, 9 e 10 ‑ Diálogo dos Vivos: 6 e 15 ‑ Espíritos da Verdade: 9 ‑ Entrevistas: 4 e 8 ‑ Instrumentos do Tempo: 17 ‑ Livro da Esperança: 44 e 53 ‑ Mãos Unidas: 8, 21 e 44 ‑ Maria Dolores: 4, 6, 13, 22 e 30 ‑ Momentos de Ouro: 1 e 16 - Orvalho de Luz: 31 – Pão Nosso ‑ 29, 43 e 64 ‑ Pontos e Contos: 2, 28 e 32 - Recados do Além: 21, 35, 39 e 42 ‑ Religião dos Espíritos: 7 e 13 ‑ Rumo Certo: 25 e 30 ‑ Segue‑me: 77 e 79 ‑ Sementeira da Fraternidade: 33 ‑ Sol nas Almas: 20 ‑ Taça de Luz: 10 e 28 ‑ Trovadores do Além: 35 ‑ A Vida Escreve: 2ª parte: 6 e 18 ‑ Vinha de Luz: 1, 111 e 149. 

C) REFERÊNCIAS PRÁTICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA 
II e III Ciclos ‑ O solo fértil ‑ As aves de lindas penas e os répteis que nos causam asco ‑ As flores e os espinhos ‑ O fruto nutritivo e o venenoso ‑ O ouro e a lama ‑ A grande árvore e a grama sob nossos pés ‑ O trigo e o joio ‑ Um magnata e o operário ‑ O doente e o sadio ‑ As lindas casa de um bairro da favela ‑ O branco e o preto ‑ Os times de futebol ‑ O dia a noite ‑ As estações do ano ‑ Os livros e as diferentes mensagens ‑ O sal e o açúcar ‑ O oceano e a lagoa ‑ O quente e o frio ‑ Os vários frutos, legumes, etc. 

D) CONCLUSÃO EVANGÉLICO‑DOUTRINÁRIA 
·  Por riqueza não se pode considerar somente o dinheiro, e sim, tudo aquilo que possuímos: o corpo, o Lar, os amigos, a capacidade de pensar, os conhecimentos espirituais, etc.
·  Enquanto na conquista dos bens materiais nos esforçamos para acumular bens perecíveis, na conquista dos bens espirituais acumulamos tesouros verdadeiros para a eternidade.
·  Importante notarmos que, se existem desigualdades é porque não soubemos usar da maneira adequada, no passado, as riquezas a nós oferecidas pela bondade de Deus.
·  Ninguém é tão pobre que não tenha nada para dar e ninguém é tão rico que nada precise.
·  “Jesus, a sós, sem finança terrestre, usou as margens de um lago simples, ofertou simpatia aos que lhe buscavam a convivência, confortou os enfermos da estrada, falou do Reino de Deus a alguns pescadores de vida singela e transformou o mundo inteiro.”