18112017Sab
AtualizaçãoQua, 18 Jun 2014

SORO ANTIOFÍDICO - LEI DE PROGRESSO

joomplu:1349

Este é o cientista brasileiro, Vital Brasil, formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 3/12/1891, aos 25 anos de idade, inventor do soro contra o veneno das cobras, livrando a Humanidade das picadas de cobras, até então incuráveis.

joomplu:1350

Em l893, dois anos depois de formado, foi nomeado Inspetor Sanitário do Estado de S. Paulo, começando a percorrer as cidades do interior, onde grassava a febre amarela, o que fez com muito empenho e ardor científico. Tanto lidou com os doentes, que contraiu a febre amarela, mas superou–a com a sua enorme resistência física e força de vontade.

joomplu:1351

Após importantes trabalhos desempenhados, foi mandado pelo governo para Botucatu, cidade cercada por grandes cafezais, onde proliferavam muitas serpentes, que picavam os colonos, matando–os com os seus venenos incuráveis. Vemo–lo, aqui, atendendo um trabalhador rural picado por uma cobra, mas impotente para curá-lo, por falta de remédio adequado.

joomplu:1352

Relembrando antigo ideal de descobrir o remédio para curar o veneno das cobras, construiu um laboratório nos fundos de sua casa, iniciando os estudos científicos necessários. A fim de obter as serpentes, para estudar os seus venenos, oferecia oitenta mil réis (na época quantia bem elevada), para quem lhe levasse uma cobra viva. Só depois de um mês apareceu um roceiro com a primeira cobra, dando–lhe oportunidade de iniciar os seus estudos científicos, usando viveiros próprios.

joomplu:1353

Por causa de seus conhecimentos científicos, o governo do Estado de São Paulo o convidou para criar um Instituto que pudesse fabricar os soros necessários para o Brasil. Depois de organizado o Instituto, ele obteve a permissão para montar um laboratório especial para estudar o soro anti–ofídico, próprio para curar as picadas das serpentes. Superando a si mesmo, venceu o medo de lidar com as cobras, dando exemplo àqueles que trabalharam com ele, como vemos no desenho.

joomplu:1354

Depois de algum tempo estudando os venenos das diversas cobras, o soro ficou pronto, só faltando oportunidade para experimentá–lo. Um de seus auxiliares, farmacêutico, foi mordido por uma serpente. Foi um corre–corre nervoso dentro do Instituto. Muitos consideravam o farmacêutico como homem morto. Mas Vital Brasil disse: Vamos ver o nosso soro. Dirigindo–se ao homem picado pela cobra, disse–lhe você verá que o nosso soro dará resultado. Aplicado o soro, o resultado foi completo. O homem salvou–se e essa vitória convenceu os que ainda duvidavam da maravilha que era o soro. A 11 de junho de 1901, Vital Brasil entregou ao consumo geral os primeiros soros anti–ofídicos, libertando o homem do veneno das serpentes. Por isso, Vital Brasil é considerado um dos benfeitores da Humanidade.