20062018Qua
AtualizaçãoQua, 18 Jun 2014

DIA DA CRIANÇA (AULA COMEMORATIVA)

A) IDÉIAS BÁSICAS 
· Importante é o papel da criança na sociedade e muito se espera dela, por isso o homem vem se desdobrando em programas de amparo e auxílio à criança, sob os vários aspectos educacionais.
· O dia das crianças e agora até mesmo ano internacionalmente dedicado à criança é apenas o reflexo da certeza que o homem tem de que sem o amparo e ajuda à criança estará comprometendo o seu próprio futuro.
· Os exemplos que o Cristo, desde quando menino, legou para nós, conclama‑nos à busca do seu Evangelho e nos ensina que a criança, desde cedo, pode e deve se identificar com os programas de orientação e vivência cristã.
· A criança é o símbolo vivo da oportunidade que o Espírito recebe para novas experiências no plano físico.
· Sem a presença da criança no mundo, este perderia todas as suas expressões de amor e beleza, no entanto, sem a orientação segura da criança o mundo se comprometeria irremediavelmente.
· O sorriso contagiante da criança é um bálsamo e ao mesmo tempo um hino de reconforto e esperança que se renovam para vida no plano terreno.
· Do mesmo modo que os adultos e os velhos necessitam garantir às crianças e aos jovens os recursos para o seu futuro tranqüilo e harmonioso, cabe aos meninos e moços respeitar o papel daqueles que, mediante lutas e sacrifícios, buscam preservar a sua jornada física e espiritual na Humanidade que nos acolhe.
· Se difíceis são determinados momentos que vivemos, principalmente nas épocas de transição, todos devem se unir, crianças, jovens adultos e velhos no esforço conjunto de melhorar os corações e o mundo em que vivemos, valorizando assim os recursos divinos que recebemos da misericórdia de Deus. 

B) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA PREPARAÇÃO DO EVANGELIZADOR 
1. Bases Evangélicas ‑ Mateus: 1:25 ‑ 2:1 a 12 ‑ 9:23 a 25 ‑ 11:16 e 17 ‑ 18:1 a 6 - 18:10 - 19:13 a 15. Marcos: 5:35 a 43 ‑ 9:36 e 37 ‑ 10:13. Lucas: 2:1 a 52 ‑ 9:47 e 48 ‑ 18:16 e 17. Romanos: 14:12. I Coríntios: 3:1 e 2 ‑ 14:20. Hebreus: 5:13 e 14. Velho Testamento: Gênesis: 33:5. Êxodo: 1:19. I Reis: 3:7. Salmos: 13:2. Provérbio: 10:1 ‑ 20:11 ‑ 29:15.
2. Bases Doutrinárias ‑ Livro dos Espíritos: 197 a 199, 379 a 385 ‑ Livro dos Médiuns: Cap.18, item 221, 6 ‑ Evangelho Segundo o Espiritismo; Cap.8, itens 18 e 19 ‑ Cap.13, item 18 ‑ Cap.14, item 9 ‑ O Que é o Espiritismo: itens 117 a 221.
3. Obras Subsidiárias ‑ Alvorada Cristã: Cap.50 ‑ Assim Vencerás: 15 ‑ Boa Nova; Cap.2 ‑ Conduta Espírita: Caps.5 e 21 ‑ Dicionário da Alma: “Criança” - Espírito da Verdade: Caps.17, 56 e 99 ‑ Estude e Viva: Caps.15 e 38 ‑ Fonte Viva: Caps.49 e 157 ‑ Justiça Divina: Cap.29 ‑ Livro da Esperança: Caps.4, 15 e 18 ‑ Luz no Lar: Caps.16, 18, 33, 51 e 57 ‑ Mais Luz: Caps.86, 89, 90 e 91 ‑ Na era do Espírito: Cap.4 - Nosso Livro: “O Caminho do Bem” e “Palavra Paterna” ‑ Palavras de Emmanuel: Caps.42 e 43 ‑ Parnaso de Além Túmulo: “No Templo da Educação” ‑ Pontos e Contos: Caps.25 e 34 ‑ Relicário de Luz: “Oração da Criança” e “Criança” ­Sementeira da Fraternidade: Cap.26 ‑ Sementes da Vida Eterna: Caps.21, 33, 34 e 35 - Taça de Luz: Cap.37 ‑ Trovadores do Além: Cap.33 ‑ Vozes do Grande Além: Cap.48 ‑ 52 Lições do Catecismo Espírita: Cap.33 - Vinha de Luz: Caps.115 e 119. 

C) REFERÊNCIAS PRÁTICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA 
1. Jardim e I Ciclo ‑ O rio e o oceano ‑ O filhote e o animal adulto ‑ A sementeira e a expectativa do florescer ‑ A flor e o fruto ‑ O diamante e o brilhante ‑ Jesus menino e seu nascimento ‑ A argila e os objetos de arte ‑ O nascer do sol e o dia que surge ‑ O mar, sua beleza, perigos e surpresas ‑ Os preparativos para uma viagem ‑ O botão e a rosa.
2. II e III Ciclos ‑ O alicerce de uma construção ‑ Os afluentes de um rio ‑ A argila nas mãos do oleiro ‑ A programação de um computador ‑ O prefácio de um livro ‑ O diamante e o brilhante ‑ Os preparativos para uma viagem espacial ‑ O treinamento de um time ‑ A preparação do solo para o plantio ‑ O amanhecer e a esperança de um dia feliz ‑ O curso de 1° grau na vida de um universitário ‑ O estudo da matemática para o engenheiro. 

D) CONCLUSÃO EVANGÉLICO‑DOUTRINÁRIA 
· “Deixai vir os meninos a mim”. Marcos 10:14. Jesus com essa expressão nos adverte para que não desprezemos os pequeninos, mas sim os encaminhemos até Ele, despertando‑os para a compreensão e a exemplificação de seus ensinamentos.
· Devemos ajudar a criança a perceber a importância do trabalho edificante como o grande auxiliador de nossa bagagem espiritual e a responsabilidade maior que a criança espírita possui; isso não significa que seja melhor que as outras crianças, porque perante o Alto todas as crianças são iguais, sem distinção seja de sexo, cor, posição social ou religião, mas sim porque desde cedo está sendo alertada para os ensinamentos do Cristo.
· Aproveitando a motivação do “Dia da Criança”, milhares de pessoas querem fazê‑la feliz, satisfazendo‑lhe os caprichos de ordem puramente transitória. Mas nós espíritas temos o dever de despertar na criança a noção de obediência e responsabilidade nos mínimos deveres, consciente de que esse é o ponto de partida para a verdadeira felicidade.