21102018Dom
AtualizaçãoQua, 18 Jun 2014

6.08 ‑ INDULGÊNCIA

A) IDÉIAS BÁSICAS 
· Indulgência é o sentimento fraternal que necessitamos cultivar para com os nossos irmãos, evitando censurar, criticar, fazer observações chocantes e falar mal de quem quer que seja.
· A pessoa indulgente não vê os defeitos dos outros, ou, se os observa, evita falar deles ou divulgá‑los, a fim de que não se tornem conhecidos por outrem.
· Devemos ser severos para conosco e indulgentes para com as fraquezas alheias, reconhecendo que todos temos inúmeros defeitos a corrigir e hábitos a modificar.
· O Cristo nos adverte: não podemos pretender tirar o argueiro dos olhos de nossos irmãos, se temos em nossos olhos a trave que nos cega, dificultando‑nos a caminhada.
· A criatura indulgente demonstra sempre ser caridosa e fraterna, não compactua com o mal e busca sempre ver o lado positivo de tudo e as coisas boas do semelhante.
· A indulgência nos leva, quando preciso, a esclarecer a outrem sem magoar ou ferir e a compreender as deficiências de todos sem pruridos de falsa superioridade. 

B) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA PREPARAÇÃO DO EVANGELIZADOR 
1. Bases Evangélicas ‑ Mateus: 5:7 ‑ 5:13 ‑ 5:161 - 7:1 a 5 ‑ 7:12 ‑ 9:12 ‑ 9:35 e 36 ‑ 10:42 ‑ 13:12 ‑ 14:13 e 14 ‑ 15:32 ‑ 17:16 ‑ 18:23 a 35. Marcos: 2:17. Lucas: 10:33 a 35 ‑ 11:41 ‑ 16:2. João: 8:1 a 11. Atos: 3:6. Romanos: 12:16 e 17 ‑ 14:1 ‑ 14:10 e 11 ‑ 15:1. I Coríntios: 3:9. Gálatas: 6:9. Efésios: 2:10 ‑ 5:8 a 10 ‑ 6:6 a 9. Colossenses: 3:12 a 17 ‑ 4:6. Tessalonicenses: 4:9. II Timóteo: 4:5. Tiago: 3:17. I Pedro: 4:9 - 5:2. Velho Testamento: Salmos: 31:7. Provérbio: 21:21.
2. Bases Doutrinárias ‑ Livros dos Espíritos: 886, 903 e 918 ‑ O Evangelho Segundo o Espiritismo: Cap.10, itens 9, 13, 16 a 18 e 21 ‑ Cap. 12 (todo).
3. Obras Subsidiárias ‑ Alma e Coração: 18, 28, 32 ‑ Almas em Desfile: 1ª parte: 12 - Alvorada Cristã: 8 e 19 ‑ Antologia da Espiritualidade: 12, 26 e 28 ‑ Assim Vencerás: 20 ‑ Astronautas do Além: 1 e 16 ‑ Através do Tempo: 14, 20 e 44 - Baú de Casos: 6 ‑ Bênçãos de Paz: 40 ‑ Bezerra, Chico e Você: 10 ‑ Busca e Acharás: 11 e 13 ‑ Chão de Flores: “Amor e Entendimento” ‑ Companheiro: 4, 6, 8 e 10 ‑ Coração e Vida: 23 e 32 ‑ Encontro Marcado: 15, 22 e 45 ‑ Entre Duas Vidas: 27 ‑ Escrínio de Luz: “Compaixão para os Ofensores” ‑ Estude e Viva: 33 ‑ Fonte Viva: 113 ‑ Idéias e Ilustrações: 16, 22 e 24 ‑ Instrumento do Tempo: 12 ‑ Justiça Divina: 54 ‑ Livro da Esperança: 26 e 27 ‑ Luz Acima: 36 e 41 ‑ Mãos Marcadas: 22 ‑ Mãos Unidas: 3, 9, 13, 17, 29, 32, 37, 41 e 50 ‑ Maria Dolores: 14 e 19 ‑ Resposta da Vida: 22 e 36 ‑ Rumos Libertadores: 25 ‑ Segue‑me: 43 e 77 ‑ Somente Amor: 11, 19 e 21 ‑ Taça de Luz: 12 e 14 ‑ A Vida Escreve: 1ª parte: 1 ‑ Vinha de Luz: 78. 

C) REFERÊNCIAS PRÁTICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA 
II e III Ciclos ‑ Os mestres que repetem sempre a lição ‑ Os pais que não se cansam de corrigir os filhos ‑ O patrão que dá nova oportunidade ao empregado ‑ A uva esmagada produz vinho ‑ As flores são maceradas e produzem o perfume ‑ O óleo é queimado e oferece a luz e o calor ‑ O trigo é triturado e aparece a farinha ‑ O ouro sofre no cadinho e se transforma em jóia ‑ O pano é cortado e produz o vestido - A roupa recebe o calor do ferro de engomar e apresenta‑se mais vistosa ‑ Os frutos são consumidos e fazem a nutrição ‑ As plantas, mesmo fervidas, produzem o chá para combater a doença ‑ As árvores são podadas e oferecem mais frutos. 

D) CONCLUSÃO EVANGÉLICO‑DOUTRINÁRIA 
· A falta de indulgência ainda é no mundo a característica dos seus habitantes. Geralmente, habituamo‑nos a ver o lado mal das coisas e das pessoas, esquecendo-nos de que todos somos portadores de imperfeições que precisamos exterminar.
· O nosso dever básico deve ser o de vigiarmos a nós mesmos na conversação, ampliando os recursos de entendimento nos ouvidos alheios. Sejamos indulgentes, rogando perdão para os nossos erros e perdoando os que erram.
· “Aquele que dentre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela”. (Jesus) Se hoje não somos portadores de determinadas imperfeições, já o fomos no passado e ainda hoje a nossa caminhada evolutiva prossegue cheia de tropeços.
· Sejamos indulgentes uns para com os outros, procurando silenciar ante as fraquezas de nossos irmãos, pois se fomos chamados ao testemunho de nossas obras, não saberemos ao certo em que condições iremos nos apresentar.