19062018Ter
AtualizaçãoQua, 18 Jun 2014

5.04 ‑ MISSÃO DE ALLAN KARDEC

A) IDÉIAS BÁSICAS
 ·  A 3 de outubro de 1804, em Lion, na França, nasceu Hippolyte Léon Denizard Rivail ‑ Allan Kardec ‑ com a grandiosa missão de abrir caminho ao Espiritismo, a grande voz do Consolador prometido ao mundo por Jesus.
·  Coube a Allan Kardec a difícil e complexa missão de reconstruir o edifício desmoronado da crença, reconduzindo os corações ao Evangelho, mediante explicações claras das lições do Cristo.
·  Apagando a própria grandeza espiritual, Allan Kardec viveu na Humildade e muitas vezes atormentado e caluniado pelos que não entenderam o seu trabalho, mas ainda assim, deu cumprimento integral a sua tarefa.
·  Dotado de vasta cultura e capacidade de síntese, além de extraordinária força de vontade e dedicação, o missionário da Terceira Revelação, compilou e divulgou as bases da Doutrina Espírita que hoje abriga milhões de criaturas em todo o mundo.
·  Além dos livros da Codificação espírita editados por Kardec, coube‑lhe a criação da Sociedade Espírita de Paris, cuja direção esteve a seu cargo enquanto viveu; a criação e manutenção da Revista Espírita, além de uma vasta atividade doutrinária que lhe custou vários anos de trabalho, com o sacrifício de sua própria saúde.
·  Desencarnado em 31 de março de 1869, Allan Kardec deixou implantada, entre os homens, a era espírita cristã que, irreversivelmente vai se desdobrando em toda a Terra.
·  Jesus é a porta de nossa redenção espiritual e Kardec simboliza a chave que abrirá para nós essa mesma porta, ampliando nossa visão e possibilitando-nos alcançar horizontes mais altos da vida. 

B) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA A PREPARAÇÃO DO EVANGELIZADOR 
1. Bases Evangélicas ‑ Mateus: 5:16 ‑ 7:24 e 25 ‑ 9:37 e 38 - 10:5 a 7 ‑ 10:27 ‑ 11:28 a 30 ‑ 22:1 a 14 ‑ 24:25 a 31. Marcos: 4:21 a 22. Lucas: 1:1 a 4 ‑ 8:16 a 18 ‑ 11:33 ‑ 21:33. João: 14:14 a 18 ‑ 14:24 a 27 ‑ 16:4 a 16. Efésios: 4:15.
2. Bases Doutrinárias ‑ Livro dos Espíritos: 619, 622, 624, 628 ‑ Livro dos Médiuns: Introdução ‑ Cap. III, itens 33 a 35 ‑ 2ª parte Cap. XXXIX, itens 328, 329, 330 ‑ Obras Póstumas: Biografias ‑ 2ª parte (Desde “minha primeira iniciação no Espiritismo” até “viagens”) ‑ O que é o Espiritismo: do início até “Espiritismo e Espiritualismo” ‑ O Evangelho Segundo o Espiritismo: Cap.6 ‑ Cap.18, itens 1 e 2.
3. Obras Subsidiárias ‑ A Caminho da Luz: Caps.22 e 23 ‑ Justiça Divina: Prefácio - Opinião Espírita: Cap.2 ‑ O Espírito da Verdade: Cap.52 ‑ Pérolas da Além: Ver palavra: Allan Kardec. 

C) REFERÊNCIAS PRÁTICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA 
1. Jardim e I Ciclo ‑ O mensageiro ‑ O maestro de uma orquestra ‑ A chave de uma porta ‑ Um aluno adiantado que ajuda os colegas mais fracos ‑ A ponte ‑ Uma luz clareando a escuridão ‑ Marco inicial de uma estrada ‑ A árvore frondosa e fértil ‑ A missão de um educador ‑ O bibliotecário ‑ O maquinista a conduzir o comboio.
2. II e III Ciclos ‑ O tradutor de um livro ‑ Um arquivista ‑ O mensageiro ‑ O maestro de uma orquestra ‑ A chave de uma porta ‑ Um aluno adiantado que ajuda os colegas mais fracos ‑ Um embaixador ‑ Deduções de um cientista após realizar experiências ‑ Um bom escritor e suas obras ‑ O astrônomo e os outros ‑ Um cartógrafo fazendo um mapa de uma região ainda desconhecida ‑ Marco inicial de uma estrada ‑ O bibliotecário. 

D) CONCLUSÃO EVANGÉLICO‑DOUTRINÁRIA 
·  Encontramos em Kardec o exemplo do trabalho, solidariedade e tolerância, preconizados por ele mesmo na codificação espírita.
·  A obra espírita é a embarcação acolhedora, consagrada ao Amor do Bem e Allan Kardec, o seu codificador, é o apóstolo da renovação humana.
·  Ao espírita cabe o dever de dar expressão funcional aos seus ensinos, repartindo a mensagem de luz que recebe, tendo sempre em mente a recomendação: Espíritas, amai‑vos e instruí‑vos.