22012018Seg
AtualizaçãoQua, 18 Jun 2014

2.3 ‑ PAI NOSSO ‑ II

“O pão nosso de cada dia nos dá hoje e perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores” (Mateus: 6:11 e 12) 

A) IDÉIAS BÁSICAS 
· Necessitamos não só do alimento indispensável à sustentação das forças físicas, mas também do alimento espiritual para o desenvolvimento do nosso Espírito.
·  Na condição de ser racional deve o homem trabalhar confiante em Deus, para o suprimento de suas necessidades, para viver harmoniosamente.
· Se o pão físico é o primeiro alimento que aprendemos a buscar, sabemos que o estudo é o meio de desenvolvimento de nossa inteligência, tanto quanto a oração e as boas obras, por palavras, pensamentos e atitudes, são o alimento do qual o Espírito não pode prescindir.
· Toda infração às leis divinas é uma ofensa que fazemos à própria consciência e uma dívida que cedo ou tarde teremos de saldar.
· Grande é o nosso débito para com Deus, nosso Pai, e os Espíritos nos ensinam que a Caridade não consiste apenas em assistirmos os semelhantes, em suas necessidades, mas também através do esquecimento e no perdão das suas ofensas. Assim estaremos nos liberando de compromissos futuros e sentindo mais intensamente a misericórdia Divina que tem revelado as nossas faltas através de nossa jornada evolutiva. 

B) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA A PREPARAÇÃO DO EVANGELIZADOR 
1. Bases Evangélicas ‑ Mateus: 6:11 e 12 ‑ 6:14 e 15 ‑ 6:26 ‑ 6:32 ‑ 7:11 ‑ 18:21 e 22 - 18:27 ‑ 18:35 ‑ 26:26. Marcos: 11:25 e 26 ‑ 14:22. Lucas: 6:36 ‑ 7:41 e 42 ‑ 11:3 e 4 - 12:31 ‑ 14:15 ‑ 17:3 e 4 ‑ 22:19 ‑ 24:30. João: 6:26 ‑ 6:32 e 34 ‑ 6:50 e 51. Atos: 3:19 - 8:22. Romanos: 4:7 ‑ 15:7. II Coríntios: 2:7 ‑ 2:10. Efésios: 4:32. Colossenses: 2:13 ‑ 3:13. Hebreus: 8:12. I João: 1:9 ‑ 2:12.
2. Bases Doutrinárias ‑ Livro dos Espíritos: Pergs. 18, 126, 661 ‑ Evangelho Segundo o Espiritismo: Cap.10, itens 1 a 15, Cap.12, itens 1 a 8, Cap.27 (todo), Cap.28, itens 1 a 3 ‑ O Céu e o Inferno: Cap.6, itens 6 a 7 da 1ª parte.
3. Obras Subsidiárias ‑ Caminho Verdade e Vida: Cap.174 ‑ Enxugando Lágrimas: Cap. 11 ‑ Fonte Viva: Cap.135 ‑ Luz do Mundo: Cap.5 ‑ Nosso Livro: Cap. “Da Oração Dominical” ‑ Palavras de Emmanuel: Cap.23 ‑ Pai Nosso: Cap.5,6 ‑ 52 Lições de Catecismo Espírita: Cap.4 ‑ Vinha de Luz: Cap.98.

C) REFERÊNCIAS PRÁTICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA AULA 
1. Jardim e I Ciclo ‑ Uma criança pobre e um pedaço de pão ‑ O pai trabalhando para dar alimento a seus filhos ‑ Uma criança, seu cofre e um pobre faminto ‑ As crianças aprendendo a escrever, desenhar, ler ‑ A estória preferida ‑ a brincadeira mais interessante ‑ O nenê e a sopinha ‑ Um garoto e o coleguinha sem merenda ‑ O menino da rua em sua casa ‑ As refeições e a saúde ‑ A árvore e seus frutos ‑ A prece em auxílio ao semelhante ‑ O remédio na hora da dor ‑ O plantio de uma árvore em benefícios a outros ‑ O perdão ao coleguinha por alguma brincadeira de mau gosto ‑ A desculpa a alguém que lhe tenha esbarrado ‑ O florescer após a poda ‑ O carneiro e a tosquia.
2. II e III Ciclos ‑ O bom livro e seu conteúdo ‑ Jesus e o Evangelho ‑ O trabalho e o salário ‑ Uma visita ao orfanato ou asilo ‑ Uma palavra amiga na hora da aflição ‑ A mãe e a representação do Divino Amor no mundo ‑ Silêncio quando a crítica os fere ‑ A germinação da semente ‑ O burilamento das pedras preciosas ‑ Os alimentos cozidos ‑ A roupa passada a ferro ‑ A argila transformada em vaso ‑ Um alimento ingerido quando se está com muita fome ‑ O ginasta e os exercícios físicos ‑ Uma boa leitura ‑ Uma aula sobre o Evangelho ‑ O auxílio prestado a uma pessoa necessitada ‑ O doente e o alimento ‑ A criança e as vitaminas, proteínas e o crescimento de seu corpo e mente ‑ Uma criança ajudando a sua família com o seu trabalho. 

D) CONCLUSÃO EVANGÉLICO‑DOUTRINÁRIA 
· O pão nosso de cada dia não é somente o almoço e o jantar, o café e o lanche. É também a idéia e o sentimento, a palavra e a oração.
· Da mesma maneira que conversando ou agindo operamos sobre os outros, também os outros com suas atitudes, a leitura, as conversações nas quais participamos alimentam nossos Espíritos.
· Procuremos o pão espiritual que nos garanta a harmonia interior, que conserve o nosso caráter firme sobre os alicerces do bem, que nos guarde contra a maldade e que nos ajude a ser exemplo de compreensão e fraternidade.
·  Quando pronunciamos as palavras “perdoai as nossas dívidas assim como perdoamos aos nossos devedores”, não apenas estamos à espera do benefício para o nosso coração e para nossa consciência, mas estamos igualmente assumindo o compromisso de desculpar os que nos ofendem.
· Se o Senhor pode suportar‑nos e perdoar‑nos, concedendo‑nos constantemente novas e abençoadas oportunidades de retificação, aprendamos, igualmente, a espalhar a compreensão e o amor, em benefício dos que nos cercam.